Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

!i!i Francisco Fiúza o Blog i!i!

Um blog sobre... o que me vai na alma, ou então não!!

Rotas: Senhor Roubado

Francisco Fiúza, 18.10.18


Padrão_do_Senhor_Roubado,_Odivelas,_Portugal.jpg

 

Hoje fui tratar de uns assuntos à capial, quando ia a caminho passei por uma localidade que achei piada ao nome e pensei que deveria ter uma história engraçada, essa çocalidade é onde fica a estação de Metro de Odivelas (Senhor Roubado).

 

aqui fica o que encontrei na minha pesquisa:

"Na manhã de 11 de Maio de 1671, a Igreja Matriz de Odivelas apresentava evidentes sinais de roubo, ocorrido durante a noite anterior. Os artigos roubados foram dois vasos sagrados, onde estavam guardadas as hóstias, imagens do Menino Jesus, de Nossa Senhora do Rosário, de Nossa Senhora do Egito e vestuário de outros santos. Logo após o alerta, nesse mesmo dia, foram revistadas todas as casas de Odivelas. Nos dias seguintes estendeu-se a revista à cidade de Lisboa e tendo a mesma chegado a quase todo o país: era a época da Inquisição, e a investigação ao roubo tomou proporções tais que o próprio Papa, Inocêncio XI, teve de intervir para impedir a violência sobre os cristãos-novos, através da suspensão do funcionamento dos tribunais religiosos durante 3 anos (1678-1681). Após um mês de intensas buscas e múltiplas inquirições, em 16 de Junho de 1671 foi encontrado parte do roubo escondido num silvado, no local onde mais tarde foi construído o Padrão do Senhor Roubado.

Os suspeitos do roubo foram muitos mas o verdadeiro autor do roubo foi apanhado por acaso, no dia 16 de Outubro, quando tentava roubar galinhas no Mosteiro de S. Dinis. Como trazia com ele alguns objetos do roubo da Igreja de Odivelas, logo se percebeu que era este o ladrão da Igreja. O roubo foi efectuado por António Ferreira, um pobre diabo que vivia sozinho em estado de miséria. António Ferreira confessou o crime um dia depois da sua prisão. Desde o dia da prisão de António Ferreira até à sua sentença, durante o processo inquisitorial, foi objecto de tortura, mesmo após já haver confessado.

A sentença inquisitorial do réu confesso foi executada no dia 23 de Novembro de 1671, constou em garroteá-lo e depois queimá-lo.

Toda esta história está retratada em 12 painéis de azulejos, em estilo de banda desenhada, muito mal tratados, no Padrão do Senhor Roubado. Hoje, este Padrão é um lugar de culto onde muitos crentes vão ao encontro da sua fé."

 

Conclusão, a justiça da altura era mais celere, será que havia menos gatunos?

 

fonte: wikipedia