Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

!i!i Francisco Fiúza o Blog i!i!

Um blog sobre... o que me vai na alma, ou então não!!

Dia de S. Valentim

Francisco Fiúza, 14.02.19

 

valentines-day.png

 

Caso ainda não tenham reparado hoje selebra-se o dia de S. Valentim, ou como é mais conhecido o dia dos namorados, celebrado hoje em dia com oferendas das mais variadas espécies e feitios, com grande oportunidade ao consumismo desenfreado, em nome do amor, da lealdade e respeito à cara-metade, mesmo que no resto do ano andem à bulha.

 

Ora vamos lá à história deste dia, que remonta à Roma Antiga e à Lupercália onde se fazia uma homenagem à deusa Juno, deusa associada à fertilidade e ao casamento, estas festividades consistiam numa lotaria, onde os rapazes tiravam à sorte de uma caixa, o nome da rapariga que viria a ser a sua companheira durante a duração das festividades, normalmente um mês. Estas festas celebraram-se durante 800 anos, em Fevereiro, até que em 496 d.c. o Papa Gelásio I decidiu instituir o dia 14 como o dia de São Valentim, para que a a celebração cristã absorvesse o paganismo da data.

A dúvida persiste no entanto, em saber a qual dos santos se refere este dia. Muitos acreditam tratar-se de um padre que desafiou as ordens do imperador romano Cláudio II. A lenda diz que o imperador proibiu os casamentos com o argumento de que os rapazes solteiros e sem laços familiares, eram melhores soldados. Valentim terá ignorado as ordens e continuado a fazer casamentos em segredo a jovens que o procuravam. Segundo a lenda, Valentim foi preso e executado no dia 14 de Fevereiro, por volta do ano 270 d.c.

Outra lenda diz que um outro padre católico se recusou a converter à religião de Cláudio II, e este mandou prendê-lo. Na prisão, Valentim apaixonou-se pela filha do carcereiro que o visitava regularmente, a quem terá deixado um bilhete assinando: «Do teu Valentim» (em inglês, «from your Valentine»), antes da sua execução, também em meados do século III..


Nesta lenda, a conotação do dia e do amor que ele representa não se relaciona tanto com a paixão, mas mais com o «amor cristão» uma vez que ele foi executado e feito mártir pela sua recusa em rejeitar a sua religião.

 

 

 

 

Curiosidade: 4 Pés e 8,5 Polegadas

Francisco Fiúza, 01.01.19

48429275_10205575304698157_2001035725746733056_n.j

 

Estava eu a "passear" pelo facebook e deparei-me com esta publicação do luís Rocha com esta curiosidade, claro que me desatei a rir e tive publicar aqui no meu cantinho.

A distância entre os 2 trilhos dos caminhos de ferro dos Estados Unidos é de 4 pés e 8,5 polegadas.
Pergunta: porque foi usado este número?
Resposta: porque correspondia à distancia utilizada pelos caminhos de ferro ingleses e, como os caminhos de ferro americanos foram construídos pelos ingleses, esta medida foi usada.
Pergunta: porque é que os ingleses usavam esta medida?
Resposta: porque as empresas Inglesas que construíam os vagões eram as mesmas que construíam as carroças antes dos caminhos de ferro e utilizaram os processos das carroças.
Pergunta: porque era usada a medida (4 pés e 8,5 polegadas) para as carroças?
Resposta: porque a distância entre as rodas das carroças deveria caber nas antigas estradas europeias, pelo que, esta era a medida ideal.
Pergunta: E porque é que esta era a medida adequada às estradas?
Resposta: porque estas estradas foram abertas no tempo do Império Romano aquando das suas conquistas, e estas medidas eram baseadas nos carros romanos puxados por dois cavalos.
Pergunta: E porque é que as medidas dos carros romanos foram definidas assim?
Resposta: porque foram feitas para acomodar 2 traseiros de cavalo!
Consequência:
O Space Shuttle utiliza 2 tanques de combustível (SRB - Solid Rocket Booster) que são fabricados pela Thiokol no Utah. Os engenheiros que projectaram estes tanques queriam fazê-lo mais largos, porém tinham a limitação dos túneis ferroviários por onde eles seriam transportados, que tinham as suas medidas baseadas na distância entre os trilhos da linha, que estava limitada ao tamanho das carroças inglesas que tinham a largura das estradas europeias construídas pelo Império Romano, que tinham a largura do cu de 2 cavalos.
Conclusão:
O exemplo mais avançado da engenharia mundial em design e tecnologia é baseado no tamanho do cu do cavalo romano.

Curiosidades da idade média

Francisco Fiúza, 30.03.07

 Naquele tempo, a maioria das pessoas casavam-se no mês de Junho (início do verão), porque, como tomavam o primeiro banho do ano em Maio, em Junho, o cheiro ainda estava mais ou menos...

Entretanto, como já começavam a exalar alguns "odores", as noivas tinham o costume de carregar bouquets de flores junto ao corpo, para disfarçar.

Daí temos em Maio o "mês das noivas" e a origem do bouquet.

 

Opinião: o bonito de hoje vs o bonito de ontem

Francisco Fiúza, 05.06.06

Estas garotas de hoje, pensam que magrinhas é que são bonitas, que até chegam a fazer dietas malucas e a vomitar o que comem, só para estarem "escleróticas", porque lhe enfiam na cabeça que só assim são bonitas. Mas isto tem a haver com as épocas.

 No tempo dos nossos tetravós, era ao contrario, gordura era formosura, isto era por causa do estatuto social, a magreza era sinal de pobreza, porque o povo não tinha bens não se alimentava bem, oras a nobreza como eram ricos, comiam até "cair para o lado", isto também acontecia com o bronze e o mítico sangue azul, neste caso naquela época o bonito era ser branco, os nobres eram tão brancos que as veias tinham a tonalidade azul, já estão a ver que o povo era bronzeado, porque trabalhava de sol a sol para poderem sobreviver, hoje o bonito é termos o corpo bronzeado.

Eu penso que nem tanto ao mar nem tanto à terra, pois é, como sempre no meio é que está a virtude , não é tão bom termos onde agarrar , digo eu